Desmonte e Transporte

Desmonte

A etapa do desmonte e o método que a ser utilizado depende do tipo de lavra executado. A lavra pode ser do tipo convencional (cíclica), com o uso de explosivos, seguindo etapas de perfuração, carregamento e detonação,remoção dos gases, limpeza da frente, ou contínua, com o uso de equipamentos que desagregam rocha por escarificação.

Desmonte mecânico

O desmonte mecânico de rochas com o uso de mineradores de superfície pode ser aplicado nos setores de mineração, escavação de terra e construção civil. O uso de mineradores de superfície na mineração permite o desmonte de rochas sem o emprego de explosivos, possibilitando a mineração em locais próximos a zonas urbanas. Essa tecnologia aplica-se na mineração seletiva de camadas delgadas ou inclinadas produzindo fragmentos de rocha de pequeno tamanho. Nas operações de escavação de terra obtêm-se taludes precisos e estáveis no corte de estradas, túneis, trincheiras, rampas, etc (Wirtgen, 2002).

Desmonte com explosivos

No caso do desmonte de explosivos, a detonação segue as seguintes etapas: perfuração, desmonte e remoção. Na primeira etapa, de perfuração, o minério é furado utilizando máquina de perfuração hidráulicas; a perfuração é executada com diâmetro, comprimento e distâncias entre furos previamente calculadas. Na segunda etapa, do desmonte, os furos previamente executados são preenchidos (ou carregados) com explosivo, procedendo-se então à detonação deste e consequente fragmentação do minério. Os explosivos são compostos químicos que, após iniciados. devidamente, liberam grande quantidade de energia, a qual provoca a fragmentação do minério citada. Na terceira etapa, de remoção, – o minério assim fragmentado é carregado em caminhões, vagonetas ou outro meio de transporte, até à instalação de processamento, geralmente situada próximo da mina.

Os acessórios dos explosivos são:

- geradores de energia: máquinas de detonar (para circuitos elétricos) ou acendedo-

res de estopim

- transmissores de energia: estopins, cordéis detonantes, para redes elétricas, fios

metálicos (de cobre ou feno)

- iniciadores: espoletas comuns, espoletas elétricas e cordéis detonantes

- outros: clipes para cordel detonante, emendas, conexões, alicates e voltímetros

O vídeo abaixo mostra um desmonte com uso de explisivos:

A exploração de maciços rochosos com uso de explosivos provoca inevitáveis impactos ambientais e desconforto para as populações do entorno, as quais estão expostas cotidianamente aos seus efeitos. Os principais efeitos ambientais se fazem sentir através do ultralançamento de fragmentos, da geração de vibrações no terreno, de sobrepressão atmosférica, da emissão de materiais particulados (poeira) na atmosfera, do aumento dos níveis de ruído, do assoreamento de áreas e/ou de drenagens adjacentes às minerações, além da alteração visual e paisagística.

Transporte e carregamento

.Em caso de rochas duras de pequena escala, a perfuração é manual. O carregamento é feito por  carregadeiras tipo LHD (load, haul and dump) com capacidade de 0,4 m3 até 4 m3 ou de descarga traseira. O transporte é feito por caminhões de 7 t a 15 t, dependendo do tamanho das vias, e trens, especialmente composições com vagões
tipo gramby car com 4 t a 8 t de capacidade, sendo usados 8 a 12 vagões por trem;
Em caso de rochas duras de média escala, a rerfuração é mecanizada. O carregmento é feito com carregadeiras LHD com capacidade entre 4,5 m3 e 7 m3. O transporte é feito por caminhões de 20 t a 30 t.

Em caso de rochas duras de grande escala, a perfuração é mecanizada ( jumbos). O carregamento é feito por carregadeiras LHD com capacidade entre 9 m3 e 11 m3. O transporte é feito por caminhões de 40 t a 80 t (em teste 90t).

Em caso de rochas moles, é utilizado o desmonte contínuo. O carregamento é feito por mineradores contínuos ou cortadeiras para desmonte e/ou carregamento. O transporte é feito por carros transportadores (shuttle cars) e correias transportadoras. Às vezes utilizam-se mineradores contínuos ou combinação com carregadeiras LHD e caminhões.

O vídeo abaixo mostra alguns caminhões que transportam o minério de ferro de Carajás-PA.

Leia mais aqui.

De acordo com as Normas Reguladoras de Mineração – NRM, de que trata o Art. 97 do Decreto-Lei nº 227, de 28 de fevereiro de 1967, a Circulação e Transporte de Pessoas e Materiais deve seguir diversas regras.

Toda mina deve possuir plano de trânsito estabelecendo regras de preferência de movimentação e distâncias mínimas entre máquinas, equipamentos e veículos compatíveis com a segurança e velocidades permitidas, de acordo com as condições das pistas de rolamento.

Leia mais aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s